03/07/2011

O menino e o livro


Não sei muito bem como narrar o dia de hoje. Queria usar palavras bonitas para expressar o belo. Utilizar-me da metáfora para ilustrar as minhas experiências. Ter as Figuras de linguagem a minha disposição para torna o texto rico, porém acho que não vou conseguir pensar muito, o dia também já está acabando. E diante do realizando hoje tudo isso é mínimo para o menino que abriu o livro de sua história.

Livro este que estava guardado como um pirata guarda um tesouro, porém não havia tesouro nenhum para ser guardado. Havia ali debaixo da terra, palavras, momentos, sentimentos, relacionamentos, experiências e tantas outra porqueiras que ele só queria se ver livres delas.

No entanto, não havia como livra-se.

E o menino do livro foi brincando tanto de pirata que acabou tendo a simples diversão, como vida. Começou com algumas roupas que o escondiam. Roupas que se tornou fuga de quem realmente ele era. Depois veio uma perna de pau, que o fez mancar diante do caminho, arrastar toda uma história no chão. Ganhou um papagaio que pensava por ele, que o induzia a milhares de situações. Ele escutava tanto a voz roca do bicho que já não possuía mais o reconhecimento da própria voz. E não demorou muito para que o tapa olho chegasse e turvasse a visão dele diante da verdade, que não mais enxergasse o horizonte distante. Para confirmar sua brincadeira em realidade adquiriu também a personalidade fria, grossa e louca desses seres.

Ele já não mais se reconhecia como o menino e o livro, mas sim como o velho pirata que traz milhares de mortes em suas costas.

Só que, o que ele não sabia é que um pirata também enfrentar muitas batalhas. Ganha algumas. Porém chegar o dia que não possui mais armas para bombardear, e se ver perdido dentro do próprio barco recebendo milhares de balas de canhões. Que ver seu navio sendo invadido por outro capitão e sendo rendido por ele. Invasor que por sinal é dono de uma grande sabedoria nas batalhas e dono de um vasto conhecimento do mar que é sua vida.

O nosso garoto se ver rendido pelo velho e ordenando para que o leve até o seu tesouro. Porém o menino que queria ser pirata cai em si e ver que não possui tesouros, que tudo não passou de fuga de si mesmo. E nega-se a ir. Porém, o velho é sábio e sabe como lida com estes tipos de falsos piratas. Levando-os a reconhecer suas origens. Conduzindo-os até o seu melhor esconderijo e fazendo com os jovens meninos descavem, vejam e abram o livro de sua história e reconheçam o que realmente é ter um tesouro.
Um lápis para reescrever está historia tendo o poder de apagar e corrigir erros...

3 comentários:

niina :) disse...

U-A-U *------*

Simplesmente Palavras disse...

Xandy me ensina a escrever que nem você ? *-*
Apaixonante sua postagem amigo ♥

Delchiawon disse...

Assim você me deixam com vergonha!

Postar um comentário

Comenta ai o que você achou ....