03/01/2011

Entrevista com Delchiawon


Descobertas aconteceram quando fores sincero contigo mesmo. Nessa verdade, fui descobri quem eu sou através de uma entrevista com o repórter: Alexandre Delchiawon com o jovem: Alexandre Delchiawon. Vejam as revelações desse menino.


Repórter: Primeiro boa tarde. É uma grande alegria está com você e conversamos um pouco sobre sua vida, sobres suas experiências e sobre o que você acredita.

Delchiawon: Boa tarde, fico feliz por este dia de revelações. Apesar de não ter nada de tão extraordinário a ser revelado, porém espero que as palavras aqui ditas possam ser de ajuda ou de reflexão para alguém.

Repórter: Bem, por que você adotou o nome de Alexandre Delchiawon? É uma fuga de quem é você realmente? Uma máscara, uma outra pessoa? Qual o significado de Delchiawon?

Delchiawon: Assim, a primeira coisa que deve fica bem clara é que eu sou o mesmo em todos os lugares que eu vou, o que vai mudar é o meu comportamento que será uma resposta do local, da situação e das atitudes do outro. O nome Alexandre é meu mesmo, porém o Delchiawon surgiu devido uma brincadeira com meus amigos de temos nomes artísticos. Assim pesquisei e uma amiga minha falou que tinha um amigo cubano que tinha o sobrenome "Dalchiavon". Achei o nome de peso e bonito troquei a grafia para ser mais artístico e diferente. Assim não sei o significado, porém tem origem cubana (risos). Desde modo comecei a me apresentar, assinar como Alexandre Delchiawon. Não como outra pessoa, nem como uma máscara, mas como uma "artista". Hoje vejo que esse nome já faz parte de mim e me tornou único e especial. Dando-me mais certeza na verdade revelada por Cristo que todos nós somos únicos e especiais.

Repórter: Você acabou de fala sobre Cristo. Você é uma pessoa muito religiosa? Acreditar que Deus realmente existe?

Delchiawon: Sim, tento leva os ensinamentos de Cristo na minha vida e nas minhas atitudes. Se sou uma pessoa muito religiosa? Muito, a minha vida gira em tornou de Deus. Sou católico apostólico romano e ao contrário do que muitos pensam que os dogmas católicos são "light" é porque não conhecem na integra o que a igreja de Cristo nos convida a viver. Acredito em Deus com todas as minhas forças, é impossível não acreditar diante de tantas manifestações de sua existência. Tem um beato da nossa igreja Pier Giorgio que dizia :" Viver sem uma fé, sem um patrimônio para defender, sem sustentar uma luta contínua em favor da verdade não é viver, mas é fingir que se vive" E é basicamente isso que acontece com quem não tem uma certeza na vida, Certeza essa que é Deus.

Repórter: Alexandre, como você se definiria? Ou definiria a sua vida?

Delchiawon: Pergunta um pouco difícil e complexa de ser respondida, porque é muito difícil define algo ou alguém. Precisa ser exato, e quando trata de um ser humano é muito difícil defini-lo devido a constante mudança que acontece no mesmo, e as influencias que aparecem na vida dele. Costumo dizer que estamos sendo. Porém sempre temos algumas certezas. E a minha única certeza é que existe um Deus uno e trino que me ama incondicionalmente.

Repórter: Vejo que é extremamente apaixonado por Deus, mas como é a relação com sua família seus amigos?

Delchiawon: Sim extremamente apaixonado pelo Esposo de minha alma. Em relação a minha família e amigos os amo muito. Meu coração é muito grato pelos meus pais pela educação que me deram e como me mostraram o fluxo da vida. Hoje sou o que sou devido a eles, e graças a educação dada por eles tenho discernimento para saber o que é bom e ruim. E especial sou muito grato a minha mãe por tudo que já fez e faz por mim, todas as vezes que me protegeu, defendeu-me, esteve ao meu lado. Ave-Maria! Amo a minha mãe. Quando digo de amigos já passaram muitos pela vida, muitos que guardo com um carinho especial. Apesar de nossas vidas tomarem rumos diferentes sempre os guardarei comigo todos os momentos por nós vividos, todos os sentimentos compartilhados. E aprendi com o mesmo beato dito anteriormente Pier Giorgio que a amizade é uma maneira de nos encontramos com as pessoas e não somente passa por elas. Pois eu pensava que as pessoas só passavam em nossas vidas para nos ensinar algo. No entanto, minha família e meus amigos não são tão importantes quanto o meu Deus. Hoje vejo o quanto Deus é meu amigo e minha família, vejo o quanto Ele é essencial a minha existência. És o sentido dela. E confiou tanto nele que tenho amigos e família quem me completam.

Repórter: Você tem um blog, por que razão resolveu cria-lo? O que pretende passa os leitores?

Sim, tenho!O delchiawon.blogspot.com. onde estará esta entrevista. Resolvi criar o blog para compartilha minhas experiências e aprender com quem passasse por lá. Só que o blog foi tomando um rumo diferente tanto para mim, quanto para quem o lia. Primeiro que escrever para mim tornou-se um hobby, uma válvula de escape. Quando escrevo vou desabafado, me entregando a magia das palavras. A forma como eu escrevia também mudou, meus textos eram como textos de auto-ajuda, de orientações. Com o tempo foi ganhando um cunho lírico e literário. E os meus leitores começaram a encontra-se dentro destes textos. Quando escrevo pretendo que eles divirtam-se, reflitam. Para fala a verdade, escrevo mais para mim do que para eles (rsrrsrrs), mas sem eles talvez o blog não existisse hoje, devido todo o apoio que eles me dão. E quantos textos os ajudaram em suas vidas é um incentivo para continuar.

Repórter: Bem Alexandre, vamos ficando por aqui. Muito obrigado por nos ter concedido esta entrevista. Quem quiser saber mais sobre o Alexandre Delchiawon, perguntar ou tem mais um esclarecimento sobre as perguntas. Pode fazer sua pergunta nos comentários que o Alexandre responderá. Até a próxima.

6 comentários:

cleb.fernandes disse...

Você comentou de ser Católico Romano e, todos nós que pertecemos a ela, sabemos que tem um forte apelo pelas vocações. Como você lida com esse apelo e com o assédio por parte das pessoas quando descobrem que você é engajado na buca de Deus?

Delchiawon disse...

Bem Cleber, confesso que não e fácil (falar, aceitar,entender) quando se trata de vocação. Como você disse é uma apelo fortíssimo que a Igreja faz, e deve ser feito para que apresente-se as varias possibilidades de felicidade que o Senhor oferece. E eu particularmente procuro responder esse apelo, conhecendo as várias vocações, carismas, espiritualidades, a riqueza de nossa igreja. Acredito que a nossa vocação é a santidade conseqüentemente a felicidade, e os estados de vida são as formas de encontra-las. No momento creio que encontrei meu carisma, mas ainda não meu estado de vida. Rezo para ter acertado e que o Senhor a cada dia confirme esse pulsar constante no meu peito quando se tratar de vocação. Mas se errei, não tenho medo de volta ou ouvi o que outros iram dizer. Irei busca novamente onde serei feliz plenamente amando e servindo a Deus. Quando trata-se do assedio das pessoas tento ser indiferente para que isso não torne-se decisivo nas minhas decisões. Para que eu não faça o querer deles e nem o meu, mas sim o de Deus(e sabemos o que Deus quer para nós). O que tem que ser importante é a minha busca constante de Deus e mostra o outro a busca-lo também. Espero tem ajudado, se não pergunte de novo. Shalom

niina :) disse...

coleguinha, que babado o.o
jurava que Delchiawon era seu nome de batismo mesmo hahahaha
adorei a entrevista..
acho que vou copiar a idéia? Posso?

beeeijos :**
Shalom!!

Delchiawon disse...

Lá vai ela com a sua nova giria "que babado" kkk's
kkkkk's... Todo mundo pensa, já faz parte de mim.

Obrigado, nenhuma pergunta?
Fique a vontade, Pode sim. A idéia era essa mesmo. Que todos se entrevistassem mesmo, você descobre tanta coisa consigo mesmo!

Beijos.

Shalom!

Will disse...

"REVELAÇÕES DESTE MENINO"? ! ? !

Delchiawon disse...

Exitem mais ponto de interrogações do que não sei o que.

Postar um comentário

Comenta ai o que você achou ....